Synésio Júnior

Chico Buarque merece respeito Não concordo ideologicamente com Chico Buarque de Holanda. Mas isto não me dá o direito de censura-lo ou agredi-lo seja de que forma for. Desde a semana passada, depois de ter sido hostilizado por um grupo de jovens no Leblon, bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro, Chico tem sido alvo de ataques também nas redes sociais, com mensagens ofensivas. Existem outras tantas em sua defesa, mas de forma tão arrogante quanto aquelas que o atacam. Uma grosseria de parte a parte e sem qualquer sentido, beirando perigosamente o patrulhamento ideológico de consequências imprevisíveis. E desde quando ter ou expressar opinião diversa é uma afronta? Entre outras sandices, vejo que “Chico – Artista Brasileiro”, documentário de Miguel Faria Jr., consta da lista daqueles que “devem ser boicotados” por aqueles que não se afinam com as opiniões políticas do compositor. Imagine então alguém propor questionar a obra de Oscar Niemeyer por ter sido ele um comunista convicto ou a exclusão de Ai, que Saudade da Amélia do repertório musical, devido às ideias socialistas de Mário Lago, parceiro de Ataulfo Alves neste clássico da MPB. Festivais de MPB não evoluem, mas ainda são importantes Os próximos dias prometem muita agitação entre autores e compositores com a realização de três dos mais importantes festivais de música brasileira, em cidades do interior do estado de São Paulo: Avaré, Ilha Solteira...

Read More